Gatunos

Muito, mas muito cuidado mesmo com gatunos (amo essa palavra) nas cidades turísticas. Essa modalidade de roubo mais furtiva é muito comum na Europa, então se esse for o seu destino fique mais atento do que o de costume. Tanto é que são comuns avisos sonoros e por escritos em locais de grande circulação de pessoas, como metrôs e ônibus — lugares onde é grande a ocorrência dos famosos pickpockets, ou bate-carteira, na versão em português. Portanto, deixe seu passaporte no cofre do hotel ou onde você estiver hospedado e prefira andar com uma cópia — sobretudo em locais onde há aglomerações e pessoas admirando obras de arte. Já me furtaram US$ 200 DENTRO da Basílica de São Pedro, no Vaticano. Foi tudo muito rápido. Fui ver a estátua da Pietà e o ladrão não teve piedade de mim. Mesmo com o dinheiro bem enroladinho no fifth pocket — aquele bolsinho bem pequeno da calça —, não teve jeito (ele certamente percebeu uma mínima pontinha da grana saindo pelo bolso). Minha mãe já foi furtada dentro de um bonde em Lisboa. Uma amiga na muito chiquetosa Champs-Élysées em Paris. OU SEJE: toda precaução é pouca. 

 
 Gatos são ótimos, mas gatunos não

Gatos são ótimos, mas gatunos não

 

Uma dica eficiente e que eu uso muito é a doleira, parente daquela que é considerada uma das peças mais cafonas do vestuário: a temida pochete. A doleira, ao contrário da versão brega, é mais fininha e vai sob a camisa. É boa para guardar dinheiro e outros objetos importantes, como cópia do passaporte e chave/cartão de entrada dos hotéis. Há desde versões simples, com um único compartimento, a outras mais elaboradas, com várias divisões. Eu sempre uso a mais simples mesmo e nunca tive aborrecimentos. 

Se você gosta — ou precisa — sair de mochila pela cidade, nada de pânico. Por questões práticas, é bom que seja uma peça pequena — as chamadas “mochilas de ataque”. Locais turísticos tendem a ser lotados de gente, e a locomoção pode ser difícil. Além disso, mochilas grandes aumentam nossa vontade de sair levando tudo pra rua: casacos desnecessários, kits completos de maquiagem, guias e mais guias de turismo etc. E não importa o tamanho da peça, nunca ande com ela nas costas, usando as duas alças, de modo tradicional. Use na lateral ou mesmo em sua frente. Isso evita que alguém abra o zíper sem você perceber. E caso sinta alguém perto demais de você, redobre a atenção. Mais vale sair de desconfiado/louco do que ser roubado. Até hoje praguejo contra quem me roubou dentro do Vaticano. Dentro do Vaticano, car@lh☻! Se tinha que pagar algum pecado, pelo menos eu estava no lugar certo.

 
 Não!!!

Não!!!

 
TravelrivotravelComment